Seminário internacional contra os agrotóxicos acontece em Curitiba

tim

Acontecerá, em Curitiba, um grande evento que reunirá especialistas de todo o país para discutir como combater e evitar os agrotóxicos! O evento será dividido em dois seminários: II Seminário Internacional: Fortalecimento da Agroecologia, Consequências dos Agrotóxicos à Saúde Humana e a Natureza e o IV Seminário: Sistemas de Produção Tradicionais e Agroecológicos de Erva-mate.

Os seminários contarão com debates, palestras e muito conhecimento sobre:

  • Os efeitos dos agrotóxicos na saúde
  • Os impactos dos transgênicos
  • Contaminação de agrotóxicos na água
  • Meio Ambiente
  • Segurança alimentar
  • Agroecologia e outros sistemas de produção sem agrotóxicos
  • A erva-mate no Paraná e Santa Catarina como alternativa ao plantio de tabaco
  • Como funciona a regulação judicial de agrotóxicos no Brasil

Mais informações: https://www.vivasemveneno.com.br/noticia/seminario-internacional-contra-os-agrotoxicos-acontece-em-curitiba

Fonte: www.vivasemveneno.com.br

Anúncios
Publicado em Notícias

Dia de campo sobre uva orgânica reúne agricultores em Porto União

uva1

O cultivo protegido de uva orgânica foi tema de um dia de campo que a Epagri realizou no dia 8 de fevereiro em Porto União. O objetivo do encontro foi mostrar aos agricultores esse modelo de produção, os cultivares que podem ser usados para uva de mesa e para suco, além de novidades em relação à rastreabilidade. Mais de 40 pessoas participaram do evento, que foi realizado na propriedade de Alcir e Eliane Freisleben. A atividade foi realizada em parceria com a Cidasc, a Embrapa, Associação de Produtores Ecológicos de Porto União (Afruta) e a Cooperativa Comsol.

O grupo foi orientado sobre as novas normas de rastreabilidade de frutas e hortaliças para Santa Catarina. Os engenheiros-agrônomos da Cidasc Alexandre Mees e Martiza Martins apresentaram o sistema e-Origem, explicaram como deve ser feito o cadastro das áreas produtivas de frutas e hortaliças, o uso do caderno de campo e de etiquetas e códigos para a venda dos produtos.

uva2

No parreiral coberto da família Freisleben, o agricultor Alcir e o engenheiro-agrônomo Nelson Feldberg, da Embrapa de Canoinhas, mostraram os cultivares de uva que estão em produção nesse sistema. Eles comentaram sobre comportamento das plantas, saúde, produção e finalidade dos seguintes cultivares: Violeta, Bordô, Vênus, Isabel Precoce, Niágara Rosada, Niágara Branca, Carmem, Poloski, Magna, Moscato Bailey, Isabel Normal e Cora.

O engenheiro-agrônomo Guilherme Gonçalves, extensionista da Epagri de Porto União, expôs os dados técnicos e econômicos que vêm sendo coletados na área desde 2014. “Os participantes tiveram uma visão das perspectivas e dos desafios desse tipo de cultivo de uva que, embora exija investimento maior, oferece maior segurança na produção e melhor preço de venda”, comenta.

Fonte: Paulo Sérgio Tagliari – DECONOR

 

Publicado em Agricultura Familiar, Notícias

Encontro de Temer e CEO da Nestlé revela interesses na privatização da água no Brasil

Rejeição da população brasileira à privatização da água parece ter influído em tornar o encontro mais discreto.

Foi com o apoio de grande parte da elite internacional que se encontra em Davos que foi possível Temer realizar no Brasil o golpe. – Créditos: Agência Brasil
Foi com o apoio de grande parte da elite internacional que se encontra em Davos que foi possível Temer realizar no Brasil o golpe. / Agência Brasil
No Fórum Econômico Mundial uma nova elite burguesa, não mais apenas europeia, mas agora mundial, se reúne em Davos para celebrar a si mesma, suas realizações e sua visão de mundo

A pequena aldeia de Davos na Suíça, muito antes de tornar-se célebre por hospedar o Fórum Econômico Mundial, já era internacionalmente conhecida através do romance ‘A Montanha Mágica’ de Thomas Mann, publicado em 1924 e imediatamente saudado como uma das grandes obras literárias do século XX.

É em Davos, ‘A Montanha Mágica’, que Thomas Mann situa o sanatório Berghof onde, no romance, a elite da burguesia europeia do início do século XX busca a cura para suas doenças pulmonares, principalmente a tuberculose. Nesta obra complexa, Thomas Mann retrata uma burguesia adoentada que, em Davos, progressivamente perde o contato com a realidade da ‘vida na planície’, a vida real. O ‘encanto’ da vida na ‘Montanha Mágica’ é quebrado, no final do romance, pela irrupção da Primeira Guerra Mundial. Thomas Mann mostra que foram a irresponsabilidade e a alienação da burguesia da época, isolada, distante e protegida na ‘Montanha Mágica’, que causaram a guerra.

No Fórum Econômico Mundial uma nova elite burguesa, não mais apenas europeia, mas agora mundial, se reúne em Davos para celebrar a si mesma, suas realizações e sua visão de mundo. O Fórum é um outro sanatório Berghof a abrigar a elite do capitalismo internacional acometida desta doença mental chamada neoliberalismo. Exatamente como as personagens de Thomas Mann na ‘Montanha Mágica’, os participantes do Fórum Econômico Mundial também perderam todo o contato com a ‘vida na planície’, com a realidade da crescente desigualdade econômica mundial e sua consequente devastação social e ambiental. Em Davos defende-se – claro sintoma de doença mental – que cabe fundamentalmente ao mercado não somente encontrar as soluções para os diversos problemas atuais, mas organizar as bases mesmas da sociedade no século XXI, reduzindo o Estado a um papel meramente administrativo.

O Presidente Temer não poderia deixar de participar deste evento, afinal foi com o apoio de grande parte da elite internacional que se encontra anualmente em Davos que foi possível realizar no Brasil o golpe que o levou ao poder. A participação de Temer no evento oficial foi tímida, resumiu-se a uma única conferência de menos de 20 minutos em um auditório onde, devido a pouca audiência, biombos procuravam esconder as cadeiras vazias. A frase fundamental e reveladora do discurso de Temer foi:

‘Hoje, os principais atores no Brasil, políticos e econômicos, convergem em que não há alternativa à agenda de reformas que estamos promovendo’. (grifo meu)

‘Não há alternativa’ é a famosa frase dita por Margaret Thatcher ao promover a privatização de grande parte do setor público do Reino Unido, incluindo as empresas públicas de água e saneamento. Hoje, a maioria da população do Reino Unido quer a nacionalização dos serviços privatizados na era Thatcher, principalmente os de água. As parcerias público-privadas introduzidas pelo governo Thatcher se revelaram um desastre.

O que Temer chama de ‘reformas’ são o seu programa de privatizações, complementado por medidas que procuram retirar quaisquer barreiras à expansão do capital, sejam elas leis de proteção ambiental ou de direitos de trabalhadores. Como programa político estas ‘reformas’ não tem – nem poderiam ter – nenhum apoio da população e por isso devem ser apresentadas como uma inevitabilidade histórica – ‘não há alternativas’.

Com algumas décadas de atraso, a frase de Temer revela não apenas sua filiação ao neoliberalismo da era Thatcher, mas também algo ainda mais perturbador. Por ironia, o discurso de Temer foi dito no mesmo dia em que o ex-presidente Lula foi condenado por 3 votos a 0 no TRF-4. Ao afirmar que ‘os principais atores políticos e econômicos’ no Brasil convergem em que ‘não há alternativa’ , parece que Temer já sabia que o tribunal em Porto Alegre se encarregaria de acabar com a única alternativa viável para as próximas eleições. Em seu discurso Temer foi bem claro quanto a este ponto. A frase seguinte do discurso foi:

“O espaço para uma volta atrás é virtualmente inexistente.” (Grifos meus).

É preciso ler este discurso à luz desta condenação do ex-presidente Lula para compreender a amplitude do golpe e o poder REAL por trás dele. Por ser fundamentalmente antidemocrático, o neoliberalismo só pode se manter por meio de mentiras ou de violência. O Fórum Econômico Mundial faz parte de toda uma estratégia global de construção de uma realidade virtual – uma mentira – onde o neoliberalismo é apresentado como o único modelo ‘racional’ e ‘eficiente’ de organização econômica.

Mas como em todo o mundo aumentam as contradições entre as promessas neoliberais e sua realidade, a mentira neoliberal se sustenta com cada vez mais dificuldade. É neste ponto que entra a violência, física ou simbólica, como contraparte da mentira necessária à manutenção da ideologia neoliberal. O discurso de Temer em Davos exprimiu sua completa adesão aos objetivos do neoliberalismo – o que já sabemos – porém mais ainda o discurso revelou, para alívio da elite econômica em Davos, que há no Brasil poderes organizados capazes de utilizar diversas formas de violência para sustentar o seu governo e as suas propostas, eliminando a possibilidade de qualquer alternativa.

Estranhamente, o segundo evento oficial anunciado pelo Fórum em que o presidente Temer participaria – um debate público com a participação do Prefeito de São Paulo João Dória, do Presidente do Bradesco, do CEO do Itaú-Unibanco e do CEO da Nestlé Paul Bulcke – desapareceu da agenda do Fórum.

Mas em um evento fora do programa oficial, um jantar fechado para convidados onde Temer fez a abertura do painel ‘Dando Forma à Nova Narrativa Brasileira’, o CEO da Nestlé estava entre os convidados, como informou a Folha de São Paulo.

Ao que tudo indica decidiram que o presidente Temer e o CEO da Nestlé não deveriam aparecer juntos em público. Afinal, a Nestlé é bem conhecida pelo seu apoio à privatização da água e que negociações sobre este tema já existem entre a empresa e o presidente Temer é de conhecimento público. A rejeição da maioria da população brasileira à privatização da água parece ter influído em tornar mais discreto o encontro entre Temer e o CEO da Nestlé em Davos.

A agenda de Temer em Davos, porém, revela a importância do tema água: Temer teve encontros privados com o Presidente Global da Ambev, Carlos Brito e com o CEO da Coca-Cola, James Quincey. Temer também encontrou o CEO da Dow Chemical, Andrew Liveris. A água é a principal matéria prima utilizada pela Coca-Cola e pela Ambev. E ‘por coincidência’, Andrew Liveris faz parte do ‘Governing Council’ do Water Resources Group –WRG – a iniciativa da Nestlé, Coca-Cola e Pepsi para privatizar a água através de parcerias público-privadas. No site oficial do WRG, Andrew Liveris aparece ao lado do ex-CEO da Coca-Cola Muhtar Kent – outro membro do ‘Governing Council’ do WRG.(https://www.2030wrg.org/who-we-are/governance/)

Já a Diretora de Comércio e Política de Investimentos da Dow Chemical, Lisa Schroeter, aparece como membro do ‘Steering Board’ do WRG, junto com Dominic Waughray, que é membro também do Comitê Executivo do próprio Fórum Econômico Mundial.

A Ambev é parte da AB InBev, grupo que comprou a sua grande rival SABMiller por 107 bilhões de dólares numa mega fusão que concentrou ainda mais o mercado das grandes empresas engarrafadoras de água, cerveja e refrigerantes. A SABMiller é uma das empresas fundadoras do WRG…O maior acionista individual do grupo AB InBev é o brasileiro radicado na Suíça, Jorge Paulo Lemann.

O tema água parece ter sido parte da agenda do Prefeito de São Paulo João Dória em Davos. Ele não só também teve um encontro com Carlos Brito, Presidente da Ambev, mas também com a CEO da Pepsi , Indra Nooyi, que aliás também é membro do ‘Governing Council’ do WRG.

Nestlé, Coca-Cola, Pepsi, Ambev, Dow Chemical, WRG, toda esta rede de relações em torno do Fórum Econômico Mundial, revela como o big business se organiza para promover e executar sua agenda de apropriação das riquezas do planeta.

Temer e grande parte dos que vieram com ele, como a Senadora Marta Suplicy e o Deputado Beto Mansur, ficaram hospedados do hotel ‘Park Hyatt’ em Zurique. Segundo informação do hotel, a diária da suíte presidencial – que seria a escolha lógica para a hospedagem de Temer – neste período é de 5.220,00 francos suíços, cerca de R$ 17.640,00. Ou seja, o que foi provavelmente gasto em UM DIA de hotel equivale ao que um trabalhador recebendo um salário mínimo no Brasil levaria quase um ano e meio para ganhar.

Através deste simples dado entramos no mundo da ‘Montanha Mágica’. Como podemos imaginar, este tipo de viagem comporta muitos outros gastos, como segurança, diárias com pessoal militar e diplomático, aviões, aluguel de transporte terrestre local, de salas, tradução, etc. Não creio que o Palácio do Planalto tornará público o total de pessoas e de gastos envolvidos neste passeio de Temer pela Suíça.

A concentração de riqueza e de poder político nas mãos de menos de 1% da população, o grupo representado pelo Fórum Econômico Mundial, na sua busca patológica de mais e mais lucro, só pode causar mais conflitos, destruição do tecido social e do meio ambiente. Thomas Mann já havia alertado: a ‘Montanha Mágica’ termina com a Primeira Guerra Mundial. Cabe a nós mudar este final.

Fonte: https://www.brasildefato.com.br/2018/01/26/encontro-de-temer-e-ceo-da-nestle-revela-interesses-na-privatizacao-da-agua-no-brasil/

 

Publicado em Notícias

CPOrg/SC desaprova a reaprovação do glifosato

Na data de ontem, mais uma decisão que não contribui para a evolução da humanidade.

Recebemos com profundo desagrado e incontável perda a notícia da reaprovação do glifosato na Comunidade Européia.
Entendemos que é desnecessário continuar repetidamente a desfilar a lista de malfeitos da indústria agroquímica no planeta.
E, reafirmamos nossa meta de banimento dos agrotóxicos, para permitir a entrada de mais saúde e mais qualidade de vida para os seres humanos, onde quer que nós vivamos.
Saúde humana e do planeta Terra são contrapostas com o uso de agrotóxicos e pesticidas.
Vamos atuar humanamente por uma agricultura orgânica, biodinâmica, e semelhante, a favor de mantermos nossa casa habitável.

Saiba mais: https://www.politico.eu/article/glyphosate-renewal-shakes-germany-france-italy/

 

Publicado em Notícias

CAE aprova incentivo à compra de alimentos orgânicos pelo governo

O governo deve dar prioridade à compra de alimentos orgânicos e de agricultores familiares. A proposta (PLS 240/2014) regulamentação do Programa de Aquisição de Alimentos aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O projeto também admite que alimentos orgânicos possam custar até 30% a mais. A relatora, senadora Lúcia Vânia (PSB–GO), defendeu o projeto de lei.

Ouça os detalhes no áudio do repórter da Rádio Senado Bruno Lourenço.

Fonte: https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2017/11/cae-aprova-incentivo-a-compra-de-alimentos-organicos-pelo-governo

Publicado em Notícias

Syngenta patrocina viagem de parlamentares ruralistas brasileiros à Suíça

Parlamentares brasileiros integrantes da bancada ruralista realizaram uma viagem à Suíça com o apoio da transnacional Syngenta, uma das maiores produtoras de agrotóxicos. A visita ao país ocorreu após a Agência Nacional da Vigilância Sanitária proibir o uso e comercialização do paraquate, agrotóxico banido em diversos países.

Um documento obtido com exclusividade pelo Brasil de Fato, aponta que a viagem foi bancada pela Câmara de Comércio Suíço-Brasileira, com apoio da Syngenta e da própria Confederação Suíça.

O roteiro da viagem incluía, entre outras coisas, visitas ao laboratório de desenvolvimento de produtos da Syngenta, na cidade de Stein, e ao Centro de Inovação da Philip Morris Internacional, em Neuchâtel.

Em um dos momentos na Suíça, em 17 de novembro, em visita ao Secretário de Estado para Formação, Pesquisa e Inovação, Mauro Dell’Ambrogio, os parlamentares foram alvo de um protesto organizado pelas organizações não-governamentais suíças Public Eye e Multiwatch.

Durante as discussões sobre a proibição do paraquate, a Frente Parlamentar Agropecuária, conhecida como bancada ruralista, interveio junto ao presidente golpista Michel Temer, manifestando preocupação com a possibilidade de a substância ser banida do país. As informações são de documento da Anvisa disponível online.

A substância produzida pela Syngenta é altamente tóxica, tendo sido proibida em mais de 40 países, incluindo toda a União Europeia e Suíça, país onde é produzido. Em 2011, um estudo estadunidense dos Institutos Nacionais de Saúde apontou correlação entre o emprego do paraquate por trabalhadores rurais e o desenvolvimento da doença de Parkinson.

Os parlamentares que participaram da viagem são:  Ana Amélia (PP-RS); Antonio Goulart (PSD-SP); Covatti Filho (PP-RS); Julio Delgado (PSB-MG); Sergio Souza (PMDB-PR); e Valdir Colatto (PMDB-SC). A comitiva foi acompanhada por três executivos da filial brasileira da Syngenta.

Segundo informações obtidas pela reportagem, Jerônimo Goergen (PP-RS) e Tereza Cristina (sem partido-MG) também foram convidados pela Câmara de Comércio Suíço-brasileira, mas não participaram da visita.

Fonte: https://www.brasildefato.com.br/2017/11/23/syngenta-patrocina-viagem-de-parlamentares-ruralistas-brasileiros-a-suica/

Publicado em Notícias

DF regulamenta política de agroecologia e produção orgânica

Decreto assinado pelo governador Rodrigo Rollemberg cria câmara setorial para elaborar plano de fomento e organizar o setor. Também foram anunciados repasses que totalizam R$ 5,8 milhões para a agricultura

A agroecologia e a produção de orgânicos serão estimuladas no Distrito Federal. Decreto assinado pelo governador Rodrigo Rollemberg na tarde desta quinta-feira (16), em cerimônia no Palácio do Buriti, facilita o financiamento para essas atividades e prioriza o setor em compras públicas.

Saiba mais:  https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2017/11/16/df-regulamenta-politica-de-agroecologia-e-producao-organica/

Publicado em Notícias