Regra final do Departamento de Agricultura Americano define o futuro da avicultura orgânica

e102300-f00001-m547-2000x0

Há vários termos usados para descrever alimentos que têm definições pouco claras, mas orgânico não é mais um deles. Assim, de acordo com o informe Poultry Times, o Departamento de Agricultura Americano (USDA, sigla em inglês) está esclarecendo os fatores para o cultivo e processamento de aves e gado.

O setor orgânico na agricultura tem sido crescente, assim como os consumidores tornam-se mais conscientes do que entra em sua alimentação e os benefícios de saúde assumidos de alimentos cultivados organicamente. Os produtores que desejam tirar proveito deste mercado terão de satisfazer novos requisitos de espaço, técnicas de processamento ético e restrições de alimentação.

É importante notar que as seguintes regras são apenas relevantes para rótulos que digam “USDA Organic” ou “Certified Organic”, e não outros rótulos que incluem a palavra orgânico.

Requisitos externos:

De acordo com o USDA, para frangos serem rotulados como orgânicos devem ser dados a eles 30 cm² de espaço ao ar livre para cada 1 quilo e 30 cm² de espaço interior por cada 2,2 quilos. As áreas externas devem ter pelo menos 50% de solo ou vegetação em vez de cascalho ou concreto.

Acesso ao ar livre é uma nova definição crítica, já que costumava ser ambíguo quanto ao que constituía “estar fora”. Granjas avícolas com varandas que são fechadas com telhados e paredes de malha já não atendem aos requisitos, embora o USDA permita um telhado sólido no espaço ao ar livre para dar sombra as aves. Enquanto as aves não devem ser forçadas para fora, elas devem ser incentivadas e ter acesso ao exterior, numa rotina diária, se a temperatura está acima de 4 graus C e abaixo de 32 graus C.

Ter aves fora pode significar riscos adicionais de biossegurança como excrementos de aves selvagens e penas podem espalhar rapidamente infecções. O Serviço de Comercialização Agrícola do USDA (AMS) está ciente das possíveis ameaças e tem opções flexíveis, como o confinamento temporário, para os produtores sob certas condições.

O Serviço de Inspeção Sanitária Animal e Vegetal do USDA (APHIS) abordou preocupações sobre possíveis taxas de mortalidade mais altas para aves que permanecem no exterior, afirmando que a mortalidade para aves sob as novas diretrizes de fazendas orgânicas era semelhante a fazendas não-orgânicas.

Outra questão com ter galinhas do lado de fora são os problemas ambientais que o estrume poderia causar. Os produtores devem ser capazes de gerir este problema e garantir que toda a qualidade da terra e da água seja protegida. A regra final permite que os agricultores mantenham galinhas dentro enquanto cuidam das áreas externas.

A AMS ainda não divulgou regras sobre densidades de perus fora e dentro granjas.

Dentro das Granjas:

Dentro das granjas há exigências adicionais feitas pelo USDA. As luzes artificiais são restritas para animais orgânicos. Isto porque, de acordo com relatórios científicos em Nature.com, a manipulação clara pode estimular o crescimento na produção avícola.

Os níveis de amônia devem ser limitados a 25 partes por milhão (PPM). Altos níveis de concentração de amônia causam desconforto para as galinhas e podem danificar permanentemente seus olhos. Felizmente, existem muitas maneiras de evitar níveis elevados, como manter a ventilação adequada e reduzir a umidade.

O USDA também afirma que cada galinha deve ter 0,15 metros de espaço de poleiro.

Tratamento das aves:

Especificamente para aves de capoeira, o USDA proíbe muda forçada e decapagem por produtores que usam o selo orgânico. Os animais transportados durante mais de 12 horas devem receber alimentação e água adequadas.

O alimento que é dado deve ser certificado sob os regulamentos de NOP e todos os minerais e vitaminas adicionados devem estar na lista FDA aprovada. Antibióticos, hormônios e suplementos não devem estar no alimento ou água a ave. O USDA afirma também que se algum animal ficar doente, o tratamento médico apropriado deve prontamente ser dado e não retido por qualquer razão.

Cronograma de implementação:

O USDA disse que todas as mudanças devem ser completas e exceto para o acesso ao ar livre e as exigências do espaço interno devem ser terminadas dentro do primeiro ano.

Após três anos as granjas de frangos de corte devem ter completado os requisitos para o espaço interior, ou, para as instalações de postura de ovos que solicitaram a certificação orgânica, todos os requisitos devem ser atendidos. Cinco anos após a publicação da regra final (publicada em 19 de janeiro de 2017) todas as operações de aves orgânicas devem atender a todos os requisitos, incluindo espaço ao ar livre.

Independentemente de se as alterações são para a certificação orgânica, os produtores que querem ter o rótulo “sem gaiolas” terão de cumprir todas essas restrições até 2022.

Exceções à regra final:

Granjas que vendem menos de US$ 5.000 em produtos orgânicos, estabelecimentos de varejo de alimentos e empresas que manipulam produtos em recipientes fechados não precisam ser certificadas.

Granjas pequenas podem vender produtos como orgânicos, mas eles devem abster-se de usar o selo orgânico do USDA ao menos que tenham a certificação. Granjas pequenas também não podem vender seus produtos para serem usados como ingredientes para empresas que qualificam como orgânico certificado.

Estabelecimentos de varejo de alimentos não precisam ser certificados, desde que a loja não os processe. Processamento refere-se a cozinhar, assar, moer ou outras forma de fabricação. Os alimentos orgânicos não podem entrar em contato com produtos não-orgânicos.

As empresas que lidam com os produtos, tais como distribuidores e comerciantes também não precisam ser certificadas, desde que os alimentos estão em recipientes já fechados. No entanto, se os itens são descompactados ou manipulados em massa, o manipulador deve ser certificado.

Todas as alterações em produção de aves que precisam ser feitas somam custos. O USDA prevê que, se todas as aves de capoeira atualmente certificada cumprir os custos anuais poderiam ser mais de US$ 30 milhões.

No entanto, o mercado iria crescer e os benefícios anuais para todas as granjas de aves poderiam chegar a US$ 49,5 milhões, fazendo um lucro de mais de US$ 19 milhões por ano. Quanto ao preço de mercado, o pior cenário do USDA prevê que os custos dos ovos orgânicos podem chegar a US$ 5,74 por dúzia se 50% da produção se mudar para o mercado sem gaiolas em 2022.

Fonte: http://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/regra-final-do-departamento-de-agricultura-americano-define-o-futuro-da/20170301-102549-R154

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.