A Construção Social do Mercado de Sementes Agroecológicas na Região Sul do Rio Grande do Sul

Ancorados na vertente teórica da sociologia econômica, especialmente nos autores que se dedicam à sociologia dos mercados, buscamos entender as transformações sociais e econômicas no Rio Grande do Sul. Esse artigo, portanto, busca compreender como instituições sociais, dentre as quais o Estado e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), presentes nos assentamentos da reforma agrária na região sul do Rio Grande do Sul (RS), são fundamentais para demonstrar como o mercado de sementes agroecológicas foi socialmente construído pela ação de diferentes atores, num contexto de regras particulares, no qual o Estado se apresenta como um importante ator para a materialização desse mercado específico.

Saiba mais: http://eduem.uem.br/ojs/index.php/rimar/article/download/31564/17319&hl=pt-BR&sa=X&scisig=AAGBfm2PtqaNNtKeoFYDrkRHYSK3XLcEkw&nossl=1&oi=scholaralrt

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.