Pulverização aérea contra Aedes é inconstitucional, diz Janot

Por haver perigo de danos imediatos aos ecossistemas e risco de intoxicação humana, o procurador-geral da União pede medida cautelar.

A pulverização de substâncias químicas por aeronaves para conter doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti é inconstitucional por ofender a preservação do meio ambiente, além de trazer riscos à saúde humana, segundo entendimento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5.592, enviada ao Supremo Tribunal Federal.

Saiba mais: http://www.metropoles.com/brasil/pulverizacao-aerea-contra-aedes-e-inconstitucional-diz-janot

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.