Sementes Krahô Resgatam Agroecologia Nacional.

A história do povo  Krahô foi marcada pela perda de diversas variedades tradicionais e entre elas quatro tipos de milho, chamado por eles de Põhypeyjakare, Põhypeytucre, Põhypeytohrom ré, Põhypeycoxàti.
Essas variedades relacionadas a práticas sociais importantes, na mítica indígena, vieram do céu pelas mãos de uma estrela mulher “Catxêkwy”, dando origem à agricultura. Em meados da década de 90, reunidos na União das Aldeias Krahô – Kapey, lideranças indígenas discutiram a perda destas variedades e decidiram resgatá-las. Com apoio da Funai, foram em 1994, ao banco de germoplasma da Embrapa e ali conseguiram sementes de suas variedades de milhos tradicionais. Estas variedades foram coletadas pela Embrapa, duas décadas antes, em terras do povo indígena Xavante que vivem no estado do Mato Grosso.
Motivados com o resgate de seus milhos, os Krahô decidiram realizar no ano 1997 a I Feira Krahô de Sementes Tradicionais para trocar sementes e conhecimentos.

Para saber mais acesse: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/136539/1/B5-383.pdf

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.