Pesquisas desenvolvem novas estratégias para cultivo de orgânicos

Já pensou em plantar alho com morango? E tomate com manjericão?
A ciência comprova a eficiência de repelentes naturais nos orgânicos.

Um manejo consciente da terra e o uso controlado de agrotóxicos possibilitam uma produção, em grande escala, sem degradar o meio ambiente. A pesquisa tem ajudado o agricultor na busca de novos meios para a produção de alimentos.

Eloy Muller cultiva morangos em Londrina, norte do Paraná, há quase dez anos. Durante muito tempo produziu da forma convencional, com uso de defensivos químicos para matner as pragas distantes. Isso mudou há três anos, quando o produtor resolveu investir na produção orgânica.

“A mudança que nos trouxe uma grande vantagem no trabalho e pra saúde da gente foi esse sistema semi-hidropônico. É em estufa, a planta não sofre com o clima. O que diminui as doenças e se torna mais fácil lidar com a lavoura orgânica”, explica o agricultor.

E para espantar as pragas o Eloy Muller resolveu plantar alho no meio das mudas de morangos. Uma crendice que foi passada da avó para o pai, que chegou até nele e que foi comprovada por pesquisas científicas.

O alho faz função de pesticida. O que o produtor acreditava, foi confirmado pelo Fernando Hata, que faz doutorado em Agronomia na Universidade Estadual de Londrina.

“Eu fiz a graduação em Maringá e neste época visitei uma propriedade em Jandaia onde o produtor trabalhava com alho e morango e fui investigar os resultados disso. Fiz dois anos de pesquisa e testamos várias plantas. O alho foi o que se deu melhor na repelência”, comenta o pesquisador.

A função do alho não é exterminar o ácaro rajado, como um defensivo químico. O cheiro dele espanta a praga sem alterar o gosto e o cheiro dos morangos. Mas faz uma grande diferença na hora de retirar os defensivos da fruta.

Um estudo da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, entre 2011 e 2012, aponta que das 211 amostras de morango, 119 estavam contaminadas com venenos químicos. Foram encontrados 39 agrotóxicos de uso proibido.

Na UEL o Fernando Hata faz parte de um núcleo de agroecologia que estuda novas técnicas de produção orgânica. Na universidade o pesquisador também investiga a ação de mais uma planta no combate de pragas: o manejricão que repele a mosca branca nas plantações de tomate.

O tomate está na lista dos alimentos mais contaminados, ainda segundo a Anvisa. Agora o objetivo é aproximar a universidade e os produtores para que as descobertas feitas em laboratório continuem beneficiando a produção no campo.

http://g1.globo.com/pr/parana/caminhos-do-campo/noticia/2016/05/pesquisas-desenvolvem-novas-estrategias-para-cultivo-de-organicos.html

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.